quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Puxas me para ti de uma forma, encostaste te a mim, envolves me com o teu casaco, dás me um beijo na testa...sinto a tua respiração ofegante, junto de mim...não sei que fazer, és irresistível, és uma tentação, tenho vontade de  te morder o lábio... olhas me nos olhos, agarras me na cara daquela forma suave só como tu sabes e dizes bem baixinho " Adoro.te , mas nós não podemos" e eu respondo-te " Não devemos, mas até podemos".

Levas-me para casa, fechas a porta do teu quarto !

Aconchegas-me!
Aconteceu e não devia ter acontecido, nós não podiamos.

1 comentário: